A Prefeitura de Belo Horizonte anunciou que vai utilizar os recursos que foram devolvidos do orçamento da Câmara Municipal ao Executivo para investir em obras de recuperação da cidade, afetada pelas fortes chuvas das últimas semanas. São aproximadamente R$ 57,4 milhões.

O anúncio foi feito na tarde desta terça-feira (11), no plenário da câmara, pelo secretário Municipal de Fazenda, Fuad Noman, e pela presidente do Legislativo, vereadora Nely Aquino. "É um valor importante, fruto de um esforço muito grande da câmara, que nos devolve o recurso em um momento de extrema delicadeza, pois a cidade está enfrentando uma situação de calamidade pública. Quando vemos essa atitude da câmara, temos que agradecer a presidente Nely Aquino, a Mesa Diretora e a todos os vereadores, que passaram um ano austero, para que, agora, a gente possa usar o recurso na recuperação de Belo Horizonte”, afirmou o Fuad Noman.

Segundo a Nely Aquino, a verba é resultado da contenção de despesas. “Esse é um momento de união de forças, pois a cidade está fragilizada e o povo de Belo Horizonte espera essa união das lideranças políticas”, disse a vereadora.

Avenida Teresa Cristina Alagada

Devastação histórica 

Córregos transbordando, ruas e avenidas destruídas, casas soterradas e 13 mortes foram o resultado dos temporais das últimas semanas na capital. Janeiro deste ano foi o mês mais chuvoso da história da capital desde o início da medição climatológica, há 110 anos, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O primeiro mês de 2020 acumulou 932,3 milímetros de chuva na cidade, de acordo com o Inmet. O recorde anterior era de janeiro de 1985, quando o acumulado do mês foi de 850,3 milímetros. 

De acordo com uma pesquisa da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-BH), as últimas enchentes prejudicaram mais de 2,5 mil comércios em apenas quatro regiões da capital (Barreiro, Venda Nova, Oeste e Centro-Sul). 

Obras chuva BH