A família da mulher, de 36 anos, presa por injúria racial a um taxista de  Belo Horizonte, divulgou pedido de desculpas à vítima, neste domingo (8). No documento, os parentes afirmam que ela tem transtornos psíquicos. A mulher foi presa, na última quinta-feira (5), depois de dizer ao taxista Luís Carlos Alves Fernandes, de 51 anos, que precisava de um táxi, mas que não andava com negros.

“Pedimos sinceras desculpas àqueles que sofrem preconceito diariamente em nosso país. Podem ter certeza, doeu em todos nós. Racismo é uma realidade brutal e inaceitável”, diz o comunicado assinado pelos irmãos dela. 

No texto, há a informação de que a mulher sofre há anos de problemas mentais, e "já agrediu de forma física e moral muitas pessoas, inclusive sua própria família. Só quem tem alguém próximo com essa doença pode entender a dor que passamos há anos e estamos passando agora. Pedimos compaixão”.

Ela foi indiciada pela Polícia Civil por injúria racial, além de desacato, desobediência e resistência contra os policiais militares envolvidos na ocorrência. A suspeita ficou presa até sábado (7), quando a Justiça determinou a liberdade provisória mediante pagamento de fiança no valor de R$ 10 mil.

Leia a íntegra da nota oficial divulgada pela família:

nota família suspeita injúria

Leia mais:

Conheça as diferenças entre racismo e injúria racial
Polícia Civil cumpre mandados em empresa que vetou 'gordas e negras' para vaga de cuidadora
Polícia Civil indicia torcedores que chamaram segurança de macaco em clássico no Mineirão
Mineirão cria canal para que torcedor possa denunciar racismo e injúria racial
Vídeo e livro ajudam adultos a falar sobre racismo com crianças