O retorno às aulas presenciais no Colégio Militar de Belo Horizonte, previsto para essa segunda-feira (21), foi suspenso pela Justiça Federal. A informação é do portal G1. 

A decisão judicial determina que seja mantido o regime de teletrabalho de todos os professores da instituição, sob pena de multa diária de R$ 5 mil.

Na sexta-feira (18), o Ministério Púlico Federal pediu explicações à escola sobre as medidas de segurança adotadas. No documento, o procurador regional dos Direitos do Cidadão, Helder Magno da Silva, solicitou a apresentação de estudos técnicos e os protocolos de segurança sanitária que sustentam o retorno às atividades educacionais presenciais na unidade, que tem 620 alunos.

De acordo com a instituição, que é coordenada pelo Exército, o planejamento é de um  retorno escalonado. Ainda segundo o documento, todos os alunos deverão usar máscaras, não poderão ter contato físico e deverão obedecer normas de higiene, como o uso de álcool em gel, por exemplo.

Polêmica

O assunto é controverso e e divide opiniões. No próximo domingo (20), há duas manifestações previstas em BH relacionadas à volta às aulas. De um lado, grupos de pais que pedem o retorno. De outro, professores que alertam para a falta de segurança neste momento.

Nenhum representante do colégio foi localizado para comentar a decisão. O espaço permanece aberto. 

Nas redes municipal, estadual e privada não há data prevista para o retorno.