Moradores de Belo Horizonte e de Contagem, na região metropolitana, queimaram pneus e bloquearam vias nesta segunda-feira (20),  após um temporal causar estragos nas duas cidades nesse domingo (19). Na capital, os manifestamtes fecharam o Anel Rodoviário, na altura do km 538, sentido Vitória. Segundo a Polícia Militar, eles cobram das autoridades melhorias na avenida Teresa Cristina, que ficou alagada pela nona vez desde outubro do ano passado. 

Os manifestantes impediram a passagem dos carros no bairro Betânia, na região Oeste de BH.

manifestação anel

protesto também se repete em Contagem, na Grande BH. Moradores colocaram fogo em entulhos e pneus para impedir a passagem de carros na Praça da Cemig, no bairro Cidade Industrial. O motivo, segundo os militares, é chamar a atenção para os desalojados pela chuva e para a necessidade de obras de melhorias nos locais afetados. 

Manifestação Praça da Cemig

Obras

O superintendente da Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap), Henrique Castilho, defendeu nesta segunda-feira (20) a ação da prefeitura contra os alagamentos que assolam a cidade no perído chuvoso. "Se a gente não tivesse a bacia do túnel Camarões, que retém 300 milhões de litros de água, a situação seria muito pior na Teresa Cristina", declarou.

Outro ponto destacado no pronunciamento do prefeito foi a necessidade das obras no córrego Ferrugem, em Contagem. A intervenção prevê a construção de três bacias de contenção, que seriam capazes de impedir o transbordamento comumente visto na avenida Teresa Cristina. "O mais grave da Teresa Cristina é que a solução não vem de BH, vem de Contagem. Sabemos que a prefeitura de Contagem está em situação difícil. O projeto foi apresentado em 2013 e está parado no Estado e Contagem não tem condições de executar", afirmou Castilho. O governo de Minas e a Prefeitura de Contagem foram procurados e ainda não se manifestaram.

Segundo o superintendente da Sudecap, desde 2017, quando a gestão atual começou, já foram investidos R$ 1,3 bilhão em obras de infraestrutura. Para este ano, estão liberados outros R$ 22 milhões. A obra na Vilarinho tem o projeto básico com entrega prevista para março deste ano. A primeira fase, que é a de obras, deve ser licitada ainda no primeiro semestre, segundo ele.

Histórico

As chuvas deste mês já superam a média histórica de janeiro em Belo Horizonte, que é de  329,1 milímetros (mm). Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), só até esse domingo (19), o acumulado foi de 492,1 mm, chegando perto do ano de maior registro de precipitações deste período, em 2004. No primeiro mês daquele ano, o acumulado foi de 502,9 mm e, até o final desta semana, o índice deve ser superado.

O motorista que trafega pela cidade deve ter paciência e atenção redobrada. A forte chuva de domingo deixou estragos em Belo Horizonte e Contagem, na Grande BH. A Defesa Civil da capital pede aos motoristas que evitem trafegar pela avenida Teresa Cristina, na região Oeste; e pela avenida Tito Fulgêncio, em Contagem. Os locais estão passando por limpeza e recolhimento de entulhos com o uso de equipamentos pesados.

Leia mais:
Defesa Civil alerta: pode chover granizo nas próximas horas em Belo Horizonte
Atingida por enchente neste domingo, Barraginha foi palco de tragédia com 36 mortos em 1992
Cenário é de guerra na Vila Barraginha após tempestade: 'perdi tudo'
Secretário Nacional de Defesa Civil visita Contagem; saiba como ajudar as vítimas do temporal