A partir desta quarta-feira (4), ocorrências de furto já podem ser registradas pela Delegacia Virtual em Minas Gerais. A novidade, que extingue a necessidade de ir até uma unidade de polícia para registrar a ocorrência, foi lançada pela Polícia Civil como estratégia para agilizar o atendimento.

Criada em 2014, a Delegacia Virtual é uma página onde o cidadão pode registrar ocorrências que, até então, não tinham o chamado "potencial ofensivo", ou seja, ocorrências que não são causas de crimes, como acidentes de trânsito sem vítima, perda de documentos, desaparecimento ou localização de pessoa desaparecida e danos em bens.

Em cinco anos, a plataforma já teve mais de 1,1 milhão de ocorrências registradas. O furto é o primeiro crime que recebe o aval de registro. Considerado de menor potencial ofensivo, se caracteriza pela subtração de um objeto de forma sorrateira, sem a percepção do dono, como por exemplo, o furto de um celular num bloco de Carnaval.

Contudo, o furto muitas vezes é confundido com o roubo, que é considerado um crime violento. Neste caso, a ocorrência tem que ser feita numa delegacia. O roubo é a subtração de bem envolvendo violência ou ameaça. Isso acontece, por exemplo, quando uma pessoa entra no metrô e pega aparelhos dos usuários, anunciando o assalto.

O registro pode ser feito de qualquer computador, na página de ocorrências (clique aqui para acessar). O acesso também pode ser feito por celulares, por meio do MG APP, aplicativo para serviços do governo do Estado. Para baixar o aplicativo no seu telefone, clique aqui, caso seja um Iphone, ou aqui, em caso de Android.

Após entrar no site, o cidadão clica em "furto" e a página abre com um aviso sobre falsa denunciação, alertando para que a pessoa seja fiel nos dados a serem fornecidos. Assim que o interessado clica em "estou ciente e quero continuar", uma nova página abre com as informações da ocorrência a ser preenchida, e a medida que um dado é preenchido, novos campos abrem automaticamente para serem respondidos.

Após envio dos dados, a ocorrência passa por uma triagem. Em até 15 minutos é emitida uma mensagem, informando o número do Reds, antigo boletim de ocorrência, e a forma de acessá-lo no site do Sistema Integrado de Defesa Social (Sids). 

Uma equipe de policiais e analistas trabalha em esquema de plantão, atuando 24 horas na triagem dos registros recebidos. Se os técnicos tiverem alguma dúvida sobre a ocorrência, o cidadão será orientado a procurar uma delegacia física. 

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) diz que a medida vai diminuir o fluxo nas unidades de polícia, que poderão se concentrar em outros atendimentos. Só no ano passado, 164 mil furtos foram registrados em todo o Estado.

Segundo a Sejusp, a maioria dos crimes registrados até o ano passado na Delegacia Virtual era a perda de documentos, com 68% do total, seguido de acidente de trânsito sem vítima (25,2%) e extravio de objetos pessoais (5,6%). Os registros menos frequentes são de danos (0,6%) e comunicação de pessoa desaparecida (0,2%).

Leia Mais:

Polícia Civil alerta para e-mail fake com suposto boletim de ocorrência
Cadastro nacional prevê agilidade nas buscas por pessoas desaparecidas
Estelionato virtual mais que triplica em Minas nos últimos cinco anos