A variante delta, detectada nesta semana em Belo Horizonte – e já registrada anteriormente em Juiz de Fora, na Zona da Mata – causa preocupação. Sem transmissão comunitária confirmada na capital e em Minas, a cepa do coronavírus já foi notificada em pelo menos nove estados no Brasil, além do Distrito Federal.

Podendo ser até duas vezes mais transmissível, a variante é apontada como responsável pelo aumento dos casos da Covid em vários países, como a Índia, onde houve o primeiro registro, além de Inglaterra, Estados Unidos e Holanda.

“Uma das grandes preocupações hoje, em relação a variante Delta, é sua alta capacidade de transmissão. Se o vírus original já era muito transmissível, essa é até duas vezes mais. O que temos visto é que mesmo em países com ampla cobertura vacinal, há um aumento no número de casos. No Brasil ela ainda não substituiu a variante Gama. A gente não sabe se isso vai acontecer ou se é uma questão de tempo”, disse, ao Hoje em Dia, o membro do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 em BH, Unaí Tupinambás. Veja vídeo completo abaixo.

Para combater mais uma cepa do coronavírus, porém, não há segredo. Segundo o infectologista, é preciso manter as medidas de proteção e receber a vacina contra a doença tão logo seja possível. Estudos recentes identificaram que os imunizantes disponíveis e aplicados no Brasil são eficazes contra a variante. Mas são necessárias as duas doses.

 “Outro dado interessante que tem mostrado é que onde há um aumento de casos, há diminuição na taxa de letalidade. Então, a gente não sabe se a variante tem uma capacidade de invasão maior, ou se essa população já previamente vacinada tem um quadro mais brando. Lembrando da importância da segunda dose da vacina. Os dados já mostram que apenas uma dose da vacina não consegue impedir a infecção pela variante e com duas doses, essa proteção aumenta, inclusive contra casos graves”, avaliou.

Para se livrar da variante e da pandemia, o médico acredita ser necessária a imunização de 80% da população. “É muito importante que a população que já tomou a primeira dose, procure o serviço de saúde no momento adequado para fazer o uso da segunda dose. Apenas com 80% da população vacinada, poderemos ficar livres da pandemia”.

Variante em BH

Na capital, a variante foi detectada após estudos finalizados na última segunda (26). Trata-se de adolescentes de 12 e 14 anos, que voltaram de Londres acompanhados da mãe, em 11 de julho. Após contato da equipe técnica de PBH, foi constatado que eles tinham sintomas do coronavírus.

Apenas a mulher testou negativo para a doença em exames realizados no último dia 17. Segundo informou a PBH, os pacientes tiveram sintomas leves, ficaram isolados e passam bem.

Leia mais:

Veja o que já se sabe sobre a variante Delta, que teve dois casos confirmados em BH
Belo-horizontinos infectados pela variante Delta da Covid têm 12 e 14 anos, diz secretário
Moradores de BH infectados com variante Delta tiveram sintomas leves, ficaram isolados e passam bem
UFMG detecta dois casos da variante delta em BH; contaminados voltaram do Reino Unido