O vereador Jair di Gregório (PSD), que chegou a adotar o nome parlamentar de Jair Bolsonaro di Gregório neste ano, não conseguiu se reeleger para o cargo na Câmara de Belo Horizonte.

Ele obteve 4.123 votos, o que o classificou como suplente. Ou seja, em caso de ausência de um vereador eleito, e a depender da colocação que o suplente ficou (1ª, 2ª, 3ª), ele pode assumir como vereador.

O parlamentar gerou polêmica em maio deste ano ao propor uma moção de aplauso ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em nome da Câmara.

Na época, di Gregório afirmou que a ação seria uma forma de agradecer o presidente pelas ações no combate à Covid-19. O ato não alcançou assinaturas suficientes e foi adiado.

Neste ano, a Casa terá uma renovação de 58,5% no quadro de vereadores nos próximos quatro anos. Dos 41 parlamentares, 37 tentaram a reeleição, mas apenas 17 conseguiram votos suficientes para a próxima legislatura.

A reportagem tentou contato com di Gregório, mas nao obteve retorno.

Leia também:
BH tem renovação de quase 60% no quadro de vereadores; confira como fica a composição na Câmara
Candidata a vereadora de BH não recebeu nenhum voto