Capitão do Atlético, o zagueiro Réver falou sobre o mal momento vivido pelo time, que, na manhã deste domingo (15), perdeu a quinta partida seguida no Campeonato Brasileiro. Em entrevista após a derrota por 3 a 1 para o Internacional, ele não fugiu de falar sobre os problemas extracampo do meio-campista Cazares.

O equatoriano começou a partida no banco de reservas, mesmo sendo considerado titular da equipe. Durante a semana, o atleta se envolveu em problemas extracampo, envolvendo denúncias por estupro e agressão na polícia e também a chegada sem justificativas, com mais de uma hora de atraso no último treino pré-jogo.

Para Réver, Cazares tem direito e dever de resolver seus problemas pessoais, contudo, a equipe precisa ficar atenta ao que o colega passa. Isso porque o rendimento dele dentro de campo é essencial para o grupo.

Na verdade, deu tudo errado. A gente acabou não cumprindo tão bem nossas funções. Isso acabou custando caro, a gente acabou tendo uma pressão maior. A luz está acesa há algum tempo. Cada vez mais a gente está se distanciando da parte de cima da tabela

 

"A partir do momento que ele (Cazares) sai do trabalho, ele tem a vida dele, faz o que quer. Então não sou eu quem vai julgar. Mas a partir do momento em que o rendimento dele dentro de campo acaba nos influenciando, a gente tem que tomar uma atitude, conversar com ele. A gente tem um objetivo, que é estar vencendo. E a partir do momento que você não tem um jogador como o Cazares, que pode desequilibrar uma partida nos momentos que nós precisamos, as coisas acabam dificultando", afirmou.

Diferente

O capitão atleticano também falou sobre o desempenho em campo do Atlético, que, na próxima quinta-feira (19), enfrenta o Cólon, na Argentina, pela partida de ida da semifinal da Copa Sul-Americana. Na opinião de Réver, o cenário na competição continental é diferente, mas o Atlético não pode deixar de manter o foco no Brasileiro, coisa que Rodrigo Santana já admitiu que parte do grupo faz.

"Na quinta-feira é um jogo de semifinal, uma proporção ainda maior. Mas como eu disse não adianta a gente ficar só pensando na Sul-Americana e deixar os jogos passando, porque se deixar o Brasileiro no caminho a pressão vai continuar da mesma maneira", opinou.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Galo vai tentar se recuperar contra o lanterna Avaí, na segunda-feira (23), no estádio da Ressacada, em Florianópolis. Neste domingo, a equipe catarinense bateu o Athletico-PR, na Arena da Baixada, em Curitiba, por 1 a 0.

Confira a entrevista do zagueiro atleticano:

Leia Mais:
Atlético é dominado pelos reservas do Internacional e perde a quinta partida seguida no Brasileiro
Ex-Cruzeiro, Sóbis provoca o Galo após vitória do Inter: 'alegria para a maior parte de BH'