Dentro de campo, o Cruzeiro obteve três vitórias e dois empates sob o comando de Vanderlei Luxemburgo. E o principal fator para essa melhora de rendimento do time é a "paz para jogar futebol" que Luxa levou para a Toca II, como destaca o zagueiro Eduardo Brock, cada vez mais confiante no acesso à elite nacional.

"O Luxemburgo dispensa comentários e elogios, pela história dele como profissional e como pessoa. Uma pessoa gigante. Ele veio com muita responsabilidade e cobra essa responsabilidade de nós (jogadores) também. Todos têm que assumir isso. Ele mostrou que o clima tem que estar leve, senão as coisas não andam. Muito mérito dele. A pessoa Luxemburgo trouxe paz para jogarmos futebol", afirmou.

Com o alto astral de volta e um aproveitamento de 73,3% nesta terceira passagem do Professor no clube, a Raposa parte agora em busca de mais um resultado positivo, diante do CRB, no domingo (29), às 16h, no Rei Pelé, pela 21ª rodada da Série B do Brasileiro.

"A gente vem de uma crescente boa, como ficou notória. E agora vêm os confrontos diretos. Primeiramente, vamos pensar na partida contra o CRB. (...) Este jogo vai mostrar a força do Cruzeiro e que o time está de volta à competição e vai brigar na parte de cima", comentou o zagueiro.

Superar a equipe alagoana, num cenário em que a Raposa ocupa a 14ª colocação, com 24 pontos, restando 18 rodadas para o fim do campeonato, é crucial para realmente entrar na disputa por uma vaga no G-4, como atesta Brock.

"Sabemos da importância do próximo jogo, é literalmente uma final para nós. É como estamos encarando cada partida. Queremos nos aproximar do grupo de cima. (...) Esperamos não tomar gol por muito tempo, porque assim fica mais fácil chegar às vitórias. Acredito que há uma evolução da equipe no geral. E em cada jogo precisamos ter uma evolução ainda maior", disse.

Leia mais:
Com ausência de Marcelo Moreno, jovem Thiago pode ganhar nova chance como titular após 250 dias
Adversários neste domingo, Cruzeiro e CRB são os times há mais tempo sem perder na Série B
Rômulo pede bom senso a Kalil e explicações claras para proibição de público em estádios em BH

 

Cruzeiro