A Cervejaria Backer informou nesta terça-feira (14) que acionou a Justiça para ter mais tempo para fazer o recall de todas as cervejas da marca produzidas desde outubro do ano passado, conforme exigência do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). "A empresa informa que acionou a Justiça porque precisa de mais tempo para se programar para atender, da melhor maneira possível, a medida de recall solicitada pelo Mapa", diz a nota da empresa.

A ordem do ministério para recolher todos os produtos fabricados pela cervejaria Backer é a primeira relacionada a cerveja já feita pelo órgão. A medida é para preservar a saúde dos consumidores.

Em meio às apurações dos últimos dias, a marca admitiu que o consumo da cerveja sob investigação pode trazer riscos às pessoas e recomendou que o consumidor “não beba Belorizontina”. Além do rótulo, a diretora de marketing da empresa, Paula Lebbos, informou que a Capixaba, comercializada somente no Espírito Santo, pode estar contaminada pela substância tóxica dietilenoglicol (DEG).

Paula também voltou a prestar solidariedade às vítimas e seus familiares. Disse que a empresa estruturou uma equipe para entrar em contato com essas pessoas e, a partir de hoje, oferecer toda a ajuda que precisarem. “Nós estamos assustados com tudo isso que tem ocorrido. É surpresa para nós como é para vocês”.