Motoristas de ônibus fretados fecharam uma das quatro pistas da MG-010, em Belo Horizonte, em frente à Cidade Administrativa, no bairro Serra Verde, em Venda Nova, nesta quarta-feira (15). A manifestação tem como objetivo fazer pressão junto ao governo de Minas para vetar o Projeto de Lei (PL) que regulamenta o transporte fretado

Os condutores sairam às 9h30 do ponto de concentração em direção à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), no bairro Santo Agostinho, região Centro-Sul da capital. Por lá, chegaram por volta de 12h30 e fizeram um buzinaço.

 

De acordo com a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), apesar do ato, não há restrições no trânsito. O fluxo de carros segue normalmente nas três faixas principais, nos dois sentidos da rodovia.

“O objetivo é chamar a atenção e pedir ao nosso governador para estar nos apoiando, da mesma forma que nos apoiou com o decreto, abrindo o circuito, dando oportunidade para todos nós trabalharmos”, afirmou o fretador Cleuber Vieira.

Em nota, o governo estadual informou que a proposição enviada pela Assembleia Legislativa está em análise e que o governador tem até a outra sexta-feira (24) para se manifestar sobre o texto.

Entenda o caso

No fim de agosto, o PL 1.155/15, que regulamenta o transporte fretado em Minas Gerais, foi aprovado em segundo turno pela ALMG. Agora, o documento precisa ser analisado pelo Executivo. De acordo com o governador Romeu Zema (Novo), o interesse dos mineiros "sempre estará em primeiro lugar".

“Calma pessoal! O Projeto de Lei que trata sobre transporte por ônibus fretado foi encaminhado pela Assembleia Legislativa ontem. O Governo de Minas fará agora a análise com equilíbrio e responsabilidade”, publicou, em 2 de setembro.

De autoria de Alencar da Silveira Júnior (PDT), a proposta proíbe a prestação do serviço de fretamento por terceiros que promovam a comercialização de passageiros e que sejam aplicadas características de transporte público, com regularidades de horários e itinerários.

Além disso, empresas que promovem viagens em grupo devem enviar uma lista com os nomes dos viajantes com seis horas de antecedência ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

Leia mais:

Aprovação de medidas para adesão ao Regime de Recuperação Fiscal pela Assembleia parece improvável
Por unanimidade, vereadores aprovam Auxílio Belo Horizonte em primeiro turno