Assim como aconteceu com Belo Horizonte e Contagem, o município de Ribeirão das Neves, na região metropolitana, também recuou na flexibilização do comércio. A partir desta terça-feira (30), apenas serviços considerados essenciais podem funcionar. 

O anúncio da regressão foi feito nesta segunda-feira (29) pelo prefeito de Ribeirão das Neves, Junynho Martins (Democratas). De acordo com a prefeitura, a medida foi tomada depois do crescimento das confirmações de coronavírus na cidade. Atualmente, são 445 casos registrados da doença e 12 óbitos.

No dia 22 de abril, quando a prefeitura anunciou a reabertura do comércio, eram apenas dois casos confirmados e nenhuma morte. Em 13 de junho, a administração publicou um decreto para o fechamento de academias, lojas de roupas, de calçados e artigos de festas, o que dava indícios de que a cidade estava caminhando para uma medida mais rígida. 

Outra justificativa para o recuo na flexibilização do comércio está relacionada com a necessidade de alinhar a política adotada em Belo Horizonte. "Nossa cidade, que tem cerca de 400 mil habitantes e é considerada 'dormitório', pois muita gente trabalha em outros lugares, e com essa pandemia crescendo, era importante a gente fazer um alinhamento com a capital", explicou Junynho Martins.

Saiba o que poderá funcionar em Ribeirão das Neves a partir desta terça (29):

- Todos os dias, sem restrição de horário:
Serviços médicos; atividades de segurança pública e privada; transporte de passageiros; manutenção de internet e telecomunicações; call center; entregas de produtos; serviços funerários; indústrias; lojas de artigos médicos e ortopédicos; construção civil; chaveiros; borracharias, bancos; entre outros.

- Todos os dias, das 6h às 22h:
Postos de combustível; padarias; estacionamentos, oficinas; comércio atacadista e varejista; entre outros.

- Todos os dias, das 8h às 22h
Açougues, peixarias e hortifrutigranjeiros; Mercados, minimercados, mercearias, armazéns, supermercado e hipermercados.

- De segunda-feira a sábado, das 8h às 19h
Casas lotéricas; casas de medicamentos e ração para animais; madeireiras, óticas; imobiliárias; lava-jato; bancas de jornal; serviços de fotocópia; entre outros.