O número de mortos em incidentes causados pelas chuvas em Minas Gerais subiu para 45, de acordo com os dados atualizados da Defesa Civil estadual nesta segunda-feira (27). Um corpo foi encontrado em Alto Caparaó e, com isso, o número de desaparecidos, que era de 19, caiu para 18. 

A cidade com maior número de mortos em decorrência dos temporais é Belo Horizonte, com o registro de 13 óbitos. Em Betim, seis pessoas morreram e, em Ibirité, cinco. No Alto Caparaó foram quatro mortes, e no Alto Jequitibá, três, assim como em Simonésia. Contagem, Luisburgo e Pedra Bonita tiveram o registro de dois óbitos cada uma e em Carangola, Divino, Manhuaçu, Santa Margarida e Tocantins, um registro cada uma. 

Também subiu nesta segunda-feira o número de cidades que estão em situação de emergência com a entrada de Diamantina e Nova Era na lista, na iminência de formalizar o decreto ainda nesta manhã, segundo o coordenador adjunto da Defesa Civil, tenente-coronel Flávio Godinho. São 101 municípios nesta situação. 

Além disso, 12.560 pessoas estão desalojadas, 2.557 estão desabrigadas e 12 ficaram feridas. 

Alerta para risco geológico continua

A situação de alerta para risco geológico se mantém, apesar de o sol ter aparecido nesta segunda, pelo menos em Belo Horizonte e Região Metropolitana. Segundo o meteorologista Cleber Souza, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão é de chuvas fracas a moderadas durante toda a semana e em todas as regiões de Minas. 

Com isso, o solo continua encharcado ou mesmo úmido, quando não há chuva, mantendo o risco de deslizamentos e desabamentos. Souza explica que para se eliminar este risco, seriam necessários vários dias de sol e sem chuvas. 

A Defesa Civil de Belo Horizonte reforça que o alerta para risco geológico está mantido, pelo menos, até a próxima sexta-feira (31). Já o tenente-coronel Flávio Godinho, da Defesa Civil Estadual, relata que, inclusive, nesta terça-feira (28), há previsão de chuvas fortes no interior, com volumes de 50 mm a 100 mm no Vale do Mucuri e na região da cidade de Paracatu.   

Recomendações

As orientações da Defesa Civil continuam sendo sair de casa imediatamente em qualquer sinal de problemas devido a solos e estruturas encharcadas. Em seguida, ligar para 199 ou 156 e aguardar, fora de casa, pelo socorro.

"É um alerta importante. Se vir alguma modificação, trinca, movimentação de terra, saia, mas principalmente se algum órgão solicitar a sua saída não retorne ao local até que receba a comunicação desses órgãos de que é seguro voltar", orientou a PBH, em comunicado enviado a imprensa.

Leia mais:

Enchentes, deslizamentos, desabamentos: saiba como se cadastrar no alerta da Defesa Civil
Mais de 17 mil pessoas precisam de donativos em Minas; saiba onde doar
Risco de deslizamentos é ampliado para todas as regiões de BH até sexta-feira